13 de nov de 2008

Uma vida-Aline

A vida de Aline caminha curta e grossa, caríssimos. Não, ela não está agüentando. Sim, ela quer paz. As noites dela estão insuportáveis. É, por mais que tente disfarçar, as pessoas estão percebendo. Não, não é só o vestibular. Não, não é melhor expor os problemas. Ela alega passar preocupação desnecessária ao próximo, mesmo íntimo.
"Os dias passam rápido", ela diz. Aline adora o tempo passageiro, mas teme à morte e aos desafios conseguintes. A morte, em função dos desafios e outras questões que a atormentam agora, ela deixou um pouco de lado, mas não a esqueceu. Pois é, infelizmente. Aline está insegura. Ela não é assim. Ela não pode ser assim.
NÃO, não. Aline NÃO é suicida. Por favor, não interpretem mal. Mais uma vez: ela TEME à morte.

Aline não é só um sexo feminino. Não é mesmo!

Nenhum comentário: