12 de dez de 2008

"This clock never seemed so alive"

"All of the things that I want to say
Just aren't coming out right
I'm tripping in words
You got my head spinning
I don't know where to go from here

There's something about you now
I can't quite figure out"

11 de dez de 2008

"Hoje eu acordei com uma vontade danada..."

Uma vontade de pular nos teus braços, te morder, abraçar, me jogar, te beijar...
De me levar, de você me levar.
Uma vontade imensa de acordar ao teu lado, brigar, fazer as pazes, tomar um café.
De fazer, acontecer, jurar, desmentir.
Uma vontade de estranhar, olhar nos olhos, me abrir, cair, subir, descer.
De te pegar, acalmar, lembrar e salvar.
Uma vontade de me entregar, escolher, sentir.
De adorar, acolher, viver de novo, sonhar contigo.

Verbo por verbo...

5 de dez de 2008

Casa no campo

Ando exigindo demais dessa vida. Mas se eu não exijo, já que só a mim convém, quem exigirá por mim?
Preciso de férias do mundo, de todos e até das minhas impaciências e idiotices. Ficar longe de tudo, inclusive de alguns anseios. Tentar invadir, só e somente só, o meu lado positivo e sereno. Sentir o meu corpo tranqüilo e uma respiração amena. Ouvir preto e branco, sem incômodos, nem sordidez. Ver só uma mancha negra ao fechar os olhos. Estar entregue ao natural. Imaginar sem impaciência. Abrir a mente e cativar só energias positivas. Me desligar do pessimismo interior. Regar o meu bem preciso.
E acabando? Reestruturada!
Não precisa ser tanto tempo. Se eu conseguir realizar os já referidos e ficar em paz em um dia só, estará perfeito.




"Eu quero uma casa no campo, onde eu possa ficar no tamanho da paz. E tenha somente a certeza dos limites do corpo e nada mais.
(...)
Onde eu possa plantar meus amigos, meus discos e livros e nada mais."