1 de set de 2009

Já que taí, malandro!

Quem me dera fugir de tudo num só toque
Sem mais afagos, querido.
"Deixa isso pra lá, o que é que tem?"
"A realidade é que sem ela não pode ser"
e que "eu faço tudo pelo nosso bem"
Mas "eu acredito no relógio"

Ah, não "leve o meu peito nas madrugadas quando estou a navegar"
"E vou sendo como posso"
Na medida do possível e impossível

"Não se assuste, pessoa, se eu lhe disser que a vida é boa"
"Tente compreender"
A medida tomada não é tão drástica
Não é mágica, é uma plácida atitude
O resultado será bonito
Prometo.

Nenhum comentário: