21 de ago de 2008

Hable con ella

14/07/2008

Já viram o filme Fale com ela? É um filme espanhol de arte. Vejam! Vale muito a pena.
Vi, mais uma vez, um dia desses e lembrei de uma resenha crítica que fiz no 2º ano do Ensino Médio.

Tá aí:

Percebi que, ao assistir um filme de Pedro Almodóvar, um dos maiores prazeres que se tem é a surpresa do inesperado. Fale com Ela, é o nome. Nada parecido com os filmes típicos de Hollywood. É, de fato, algo bem distinto, uma obra (sim, obra) que se destaca. O filme é iniciado com um espetáculo de balé. Na platéia, dois homens, que não se conhecem, estão sentados lado a lado. Um deles chora; o outro olha admirado para o choro do primeiro. O homem que chora é o jornalista Marco. E o que se admira é Benigno, um dedicado enfermeiro. Cada um deles, de maneira totalmente diferente, se relaciona com uma mulher. Marco está envolvido com Lydia, uma toureira profissional que luta para conquistar seu espaço num universo machista. E Benigno sustenta uma estranha (a meu ver) relação de paixão por Alicia, uma bailarina em coma.
É a partir dos quatro personagens citados, que Almodóvar começa a construir os relacionamentos inesperados. Há muito de tudo nesta maravilhosa obra: dedicação, loucura, amizade, obsessão, perdão, humor, amor. Os detalhes são revelados aos poucos. Marco, Benigno, Lydia, Alicia e outros mais que surgirem são tratados com profundidade e delicadeza, cada um com suas características fortes e marcantes. É investido em cada detalhe de cada figura dramática. Não há bem certo, uma preocupação em fechar cada contexto, cada situação; deixando várias circunstâncias em aberto, sem algum esclarecimento concreto. E como na vida, nem tudo fica explicado, é ótimo que seja assim. Também em oposição a Hollywood, o roteiro do Fale com Ela é tão rico que deixa lacunas que poderão ser preenchidas (talvez) num próximo filme – boa idéia, hein? –, ou pela imaginação dos espectadores.
A fotografia, a música, os atores, os cenários. Tudo isso faz de Fale com Ela não apenas mais um filme do famoso e tão comentado/criticado Almodóvar, mas sim mais um grande e surpreendente – que acontece a cada novo filme e seria, talvez, uma não-surpresa pelo seu talento natural – filme-de-Almodóvar.

Um comentário:

Mayara disse...

Ai Almodóvar, sempre bom de assistir! Ainda não vi Fale com Ela, sem motivação, sabe? Mas, com palavras tão em escritas como as tuas, irei dar uma chance!! Um beijo, Ali